Posted in:

Podemos treinar a motivação para o esporte?

Atletas fazendo sinal positivo para a motivação para o esporte
Podemos treinar a motivação para o esporte?
Este texto te ajudou?

Atletas fazendo sinal positivo para a motivação para o esporte
Atleta motivado = Maior rendimento.

Você consegue manter-se sempre com o mesmo pique?Ou lhe ocorre estar ora em alta e ora em baixa no que se refere à motivação / vontade para realização?

Pois é! Muito natural termos essas alternâncias, não é mesmo?

Por ser comum, taxamos como normal (rsrsrs), e nos acostumamos com essa variação sem nos darmos conta que podemos desenvolver um “treino” para que pelo menos essas variações fiquem menos frequentes e com intervalos maiores.

Associamos a motivação para o esporte ao estado emocional positivo e a características de personalidade como: ser persistente, ter auto-segurança e autoconfiança, ser resiliente, disciplinado e outros.

Porém, sob a luz da neurociência também temos que considerar a ação dos neurotransmissores relacionados com a obtenção do prazer que é o combustível para a motivação.

A descoberta.

Na década de 60 o psiquiatra americano James Olds descobriu um sistema de recompensa cerebral o qual denominou como Sistema de recompensa do sistema nervoso central e está presente em todos os mamíferos até os mais primitivos.

Esse sistema tem fundamental importância na captação de estímulos que causam prazer, que podem ser o alimento preferido, jogo, exercícios, drogas (lícitas e ilícitas), cria-se uma memória estimulando o indivíduo a buscar mais pelo estímulo prazeroso.

Essa descoberta tem sido fundamental para as pesquisas sobre o desenvolvimento da dependência química. Sabemos que a motivação possui dois processos de elaboração: externo e interno.

Externo refere-se basicamente ao reconhecimento e aos elogios. Interno é o que a pessoa consegue reconhecer em si como sendo seu potencial realizador: o que faz bem e o que sabe do que é capaz.

Quando há estímulos que ocorrem pelas duas vias, o potencial da motivação para o esporte estará garantido, mas quando não, há o desequilíbrio.

Por isso ocorre a situação de alguém mesmo sendo considerado capaz para uma tarefa se ele assim não se considerar irá titubear, o contrário também é uma verdade.

O que esta relacionado com a motivação para o esporte?

Vemos então que motivação não está apenas relacionado com um estado emocional positivo, o que é importantíssimo.

Há um conjunto de fatores relacionados com a formação deste potencial criador.

Como podemos “treinar” a motivação interna? Primeiro há de se considerar a autopercepção como sendo positiva, ou seja, o indivíduo precisa se reconhecer sendo capaz.

Mesmo quando tem dúvidas ou até mesmo não tem conhecimento sobre o que precisa realizar mas se considerar capaz de buscar as alternativas que efetivem a superação do desafio, isto é básico.

Se alguém se encontra na condição de se desacreditar, faz-se necessário buscar ajuda.

Como vimos nosso cérebro tem uma “memória” para os estímulos que causam prazer, então há de se buscar desenvolver hábitos que venham facilitar a obtenção de prazer com a proposta que se quer alcançar, no nosso caso manter-se motivado para a atividade física.

O desenvolvimento de hábitos reforçadores para um determinado objetivo leva a obrigatoriamente a deixar de ter hábitos também considerados reforçadores de prazer, mas que não contribuem.

Exemplo: se quero me sentir sempre disposto para a atividade esportiva e gosto de passar a noite em claro fazendo algo que também tenho prazer, precisarei optar pelo qual estímulo (hábito) irei manter.

Temos a necessidade de uma autoeducação.

Fazer um levantamento sobre os hábitos de vida que estão diretamente e indiretamente relacionados com a prática esportiva e que são identificados como os facilitadores e os impedidores para a motivação para o esporte.

Diretamente envolvidos podemos citar: tipo de alimentação, hábitos de sono, vícios (bebe, fuma) e etc. Indiretamente: qual ideia é associada com a pratica esportiva e quais os sentimentos relacionados.

Se cultuo a ideia de ter que ter um esforço herculano; se o movimentar-se é um incômodo, faz-se necessário rever esses conceitos. Suar para alguns pode ser entendido como prazeroso, pois indica objetivo alcançado, para outros estar sujo.

Portanto, motivar-se vai para além de criar hábitos que já sabemos quais são os facilitadores para a prática esportiva. É necessário também cuidar dos estímulos intrínsecos (ideias, sentimentos).

Espero ter podido ter acrescentado com o entendimento sobre como manter-se motivado. Estou a disposição para trocas através do e-mail ou da minha página no facebook: Psicóloga Roselice Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.