Transpire | Blog Treinus

Dicas sobre treinamento esportivo, saúde, qualidade de vida e muito mais

O que comer em uma dieta sem carboidratos?

Alimentos que fazem parte a dieta sem carboidratos

Uma dieta sem carboidratos faz sentido?

Dieta sem carboidratos são como diz o próprio nome, programas alimentícios que restringem o consumo de hidratos de carbono.

De uma maneira geral esse tipo de dieta é utilizado por aqueles que querem controlar o peso, ou mesmo por pessoas que fazem tratamentos contra a obesidade.

Além do controle de peso, esse tipo de dieta também é, em alguns casos, utilizado como forma de tratamento para outras questões como: diabetes, epilepsia, por exemplo.

Nesse tipo de dieta os alimentos que contem muito carboidrato  são consumidos de forma limitada e substituídos por alimentos que contenham uma quantidade maior de proteínas e gorduras.

Outros alimentos que não contem tanto carboidrato, como as verduras para salada (em sua maioria). A quantidade de hidrato de carbono permitida vai variar de acordo com a dieta escolhida.

Mas afinal, o que comer em uma dieta sem ingestão de carboidratos?

A escolha dos alimentos para sua dieta deve depender do seu estado de saúde e também do exercício ou atividade física que você realiza.

O mais importante é que dietas como essa estão baseadas em alimentos saudáveis e é muito importante que eles não sejam industrializados.

As melhores verduras são: couve-flor, brócolis, espinafre e cenoura.

Frutas: bananas, laranjas, peras, cerejas e maçãs estão permitidas.

Sementes: você pode optar por nozes, sementes de girassol e amêndoas

Em relação aos peixes: trutas, bacalhau e salmão   estão permitidos. É importante que esses alimentos sejam comprados frescos.

Quando o cardápio for carne estão permitidas as de carneiro, porco, frango.

É importante verificar a procedência do alimento e levar em conta que as carnes de animais criadouros que sejam no pasto.

Laticínios: iogurtes, queijos, e manteiga estão permitidos nas dietas com baixa ingestão de carboidratos.

Óleos e azeites: prefira o azeite de coco, a manteiga (tradicional e de porco), o azeite de Olivia e óleos derivados de peixes.

Se você for uma pessoa com a saúde estável, com uma rotina de exercícios ativa e seu objetivo não seja perder peso você poderá se permitir alguns alimentos, mas nunca em excesso.

Pode comer de vez e quanto: batatas, arroz integral, aveia, lentilhas e feijão.

Caso queira você também pode consumir vinhos e chocolate preto, mas com muita moderação. No caso dos vinhos, escolha os secos sem açúcar nem carboidratos, é claro.

Se escolher o chocolate, é preferível que escolhas marcas que tenham produtos com 70% de cacau, ou mais.

É importante para quem escolher fazer uma dieta de baixa ingestão de carboidratos estar sempre atento ao rotulo para ver a lista de ingredientes dos produtos, inclusive os produtos que forem etiquetados como orgânicos.

Cada uma das refeições deve conter uma fonte de proteínas, outra de gorduras e vegetais com baixos índices de carboidratos.

Quando montamos o cardápio dessa maneira automaticamente colocamos o consumo de hidratos de carbono entre 20 e 50 gramas por dia, o que é recomendável.

As fontes de proteína podem vir das carnes, dos peixes e frutos do mar e dos ovos (nesse caso, os melhores são ovos enriquecidos com omega-3, encontrados em galinhas de granja).

O consumo de uma boa quantidade de proteínas pode acelerar o metabolismo em ate 80 e 100 calorias por dia.

Além disso, as dietas altas em proteínas (e baixas em carboidratos) podem reduzir a ansiedade de consumo abusivo de comido em até 60%, reduzir a metade dos desejos de comer muito tarde da noite e elevar a sensação de saciedade de uma maneira que é possível comer até 500 calorias a menos no dia.

Não fique com medo de encher seu prato com verduras com baixo índice de carboidratos.

Nessas dietas é permitido comer grandes quantidades deles sem sair da marca de 20 e 50 gramas de carboidratos por dia.

As dietas embasadas em vegetais e carnes contem todas as fibras, vitaminas e minerais necessários para manter seu organismo saudável.

Não precisa ter medo da ingestão de gorduras saturadas, visto que elas não elevam o risco de sofrer doenças cardíacas a curto prazo.

É importante saber que manter ao mesmo tempo uma dieta sem carboidratos e uma dieta com baixa ingestão de gorduras é uma formula que muito provavelmente falhará, visto que você pode ter um índice de satisfação e saciedade muito baixo.

O ideal é fazer as três refeições por dia.

Caso tenha fome no intervalo você pode adicionar outra refeição. Então se bater aquela fome inesperada você pode sim adicionar uma refeição, mas sem pular as outras.

Nesses casos boas opções são: uma porção de iogurte integral, um ou dois ovos cozinhados,  uma porção de frutas, ou até mesmo: um pouco de queijo, ou de carne.

O que não comer (em nenhum momento).

Na dieta sem carboidratos não estão permitidos os açucares como os encontrados em refrigerantes, sucos industrializados, sorvetes, etc.

Os cereais que contem glúten também não são bem vindos. Por isso, fica de fora o fora o trigo, o centeio e  a cevada, por exemplo.

Produtos dietéticos ou com baixo índice de gordura também estão proibidos, então evite a maioria dos produtos lácteos e biscoitos.

Alimentos muito industrializados, que passam por vários tipos de processamentos são nada aconselháveis.

Algumas Sugestões  de cardápio:

1)

Café da manha: omelete de verduras (prepare com manteiga ou azeite de coco).

Almoço: iogurte com metilos e um pouco de amêndoas.

Jantar: algum queijo servido com verduras e molho picante.

2)

Café da manhã: ovos com bacon.

Almoço: salada com azeite de oliva.

Jantar: frango assado com verduras.

3)

Café da manha: Omelete.

Almoço: Vitamina de leite de coco com frutas vermelhas, amêndoas e proteína em pó.

Jantar: Almondegas com verduras.

Há riscos em uma dieta sem carboidratos?

Sim, os riscos existem. As dietas com baixa ingestão de carboidratos se popularizaram e muitas vezes são utilizadas como estratégia para perder peso.

De fato, quem utiliza esse plano de alimentação pode perder mais peso em um curto período do que com outras dietas, mas há pesquisas que indicam que a adoção desse tipo de alimentação pode trazer alguns efeitos para a saúde.

Por isso, é fundamental que antes de começar uma dieta desse tipo (e mesmo para iniciar qualquer tipo de dieta) você consulte um profissional de confiança para saber se está apto para tal.

É importante lembrar que mesmo a dieta com baixa ingestão de carboidrato gerando grandes mudanças no corpo de quem a adota e a maioria dos seus efeitos, quando aparecem, não são tão graves.

Mas no início é possível que você sinta dor de cabeça. Isso se da pelo seguinte motivo: a diminuição na ingestão de frutas, fibras e vegetais.

A dieta com baixa ingestão de hidrato de carbono pode gerar também a piora da respiração, dores musculares, erupções cutâneas e diarreias.

A dieta sem carboidratos pode apresentar algumas consequências quando utilizada por muito tempo.

Devido a alta ingestão de carnes as pessoas que optam por essa dieta podem apresentar maior risco de ter “gota”, uma forma de artrite dolorosa.

Outro sintoma pode ser a prisão de ventre, que acontece por motivo do baixo consumo de fibras, que acarreta em problemas de saúde intestinal e aumenta os riscos de alguns tipos de câncer.

Dietas como essa, que prezam pela alta ingestão de proteínas e baixa ingestão de fibras, também podem aumentar a quantidade de cálcio que liberamos na urina e isso pode ser causador da aparição de pedras nos rins, ou ate mesmo aumentar os riscos de osteoporose.

O que você achou dessas dicas sobre carboidratos? Então compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!