Práticas esportivas

O que significa mobilidade e flexibilidade no esporte?

single image

Dieta regrada, constância, exercícios prescritos por profissionais e tempo certo de descanso. De todas as formas para alcançar a performance máxima no esporte, existem dois pontos que são pouco levados em consideração, apesar de serem extremamente necessários para o desempenho esportivo tanto de atletas, quanto de iniciantes. Comumente confundidos, a mobilidade e flexibilidade são funções distintas e indispensáveis para a vida esportiva.

O que é mobilidade e flexibilidade?

Segundo a fisioterapeuta Tatiana Tramontina, a mobilidade articular é a capacidade que as articulações têm de se movimentar em pequenas e grandes amplitudes através da habilidade do sistema neuromuscular. Por outro lado, a flexibilidade, se caracteriza por sua capacidade de aproveitar os movimentos das articulações de forma que possibilite os tecidos moles a terem uma elasticidade mais ampla.

No desempenho desportivo, ela assume um grande papel por beneficiar a melhora da execução dos movimentos. Portanto, apesar de semelhantes e complementares elas não são a mesma coisa. “A mobilidade representa a liberdade de movimento de uma articulação e o grau que ela consegue atingir em determinado movimento. Por exemplo, um atleta que realiza um agachamento e, ao descer, tira o calcanhar do chão, isso significa que tem redução na sua mobilidade articular, devido a uma patologia ou por falta de treino. Já a flexibilidade é a capacidade de movimentar os tecidos moles nas articulações de forma que eles sejam “esticados” sem causar lesões. Por exemplo, os exercícios de alongamento, explica.

Mobilidade e flexibilidade na prática

Como entender mobilidade e flexibilidade na prática? A falta de mobilidade causa uma espécie de rigidez articular o que se torna visível no atleta, como por exemplo, um atleta de natação ao realizar as rotações do tronco necessita de mobilidade da coluna torácica para que ele não perca qualidade de movimento ou venha sofrer algum tipo de lesão. A falta de flexibilidade causa uma rigidez muscular dificultando movimentos simples que exigem a elasticidade de determinada estrutura, por exemplo, um atleta de corrida, se o mesmo não estiver com um trabalho de flexibilidade em dia ele pode fadigar mais rápido ou até mesmo se lesionar com passadas mais longas.

Para corrigir os dois pontos, existem exercícios específicos, como os estáticos para mobilidade e os de alongamento para flexibilidade. “Para se desenvolver a flexibilidade é necessário realizar exercícios de alongamentos, tanto de membros superiores quanto de membros inferiores. Para a mobilidade é necessário realizar exercícios que exijam da articulação um progresso no grau articular, que são provocados com execuções repetitivas de movimentos direcionais respeitando a biomecânica das articulações.”, esclarece a fisioterapeuta.

Mobilidade e flexibilidade no esporte

Apesar de diferentes, ambos são importantes para a vida e principalmente para o esporte. Tatiana explica que tal necessidade vem desde a infância, quando trabalhamos essas duas partes com exercícios e brincadeiras diárias. Atividades essas, que vão se perdendo ao longo dos anos, diminuindo também a qualidade dos movimentos, o que acarreta dores e patologias. No esporte, a lógica é bem similar: se um atleta não tem por rotina treinar mobilidade e flexibilidade a vida útil dele também tem um prazo de validade, pois irá acabar gerando lesões e dores que poderiam ser evitadas com a prática periodizada.

De acordo com a fisioterapeuta, é difícil praticar atividade física corretamente sem ter mobilidade e flexibilidade porque o atleta (ou iniciante) acaba compensando de forma errada os movimentos, por mais simples que possa ser a modalidade que ele escolheu. E isso pode ocasionar patologias mais sérias se a compensação não for corrigida a tempo. Por isso, o ideal é que os treinos também abarquem exercícios que tenham o objetivo de tornar o corpo mais flexível e com maior capacidade de movimento, sem deixar de lado o cuidado e o respeito ao limite dos músculos e articulações. “Não exagerar é o principal cuidado, é necessário respeitar o limite, ângulo e grau que seu corpo te proporciona, tudo é treinável, porém, se forçar muito um trabalho de mobilidade e flexibilidade em alguém que está iniciando, o risco de gerar uma lesão muscular é bem grande, então é preciso treinar para que o corpo vá se adaptando a inclusão desse novo protocolo de treino.”, alerta a profissional.

Mas para os que ainda estão começando, Tatiana também ressalta que apesar de difícil, é possível conseguir a alta performance sendo pouco flexível, mas correndo maiores riscos de sofrer lesões e compensações e, é claro, com muito mais esforço. “É possível, dedicando-se ao máximo. Todo esforço é recompensado, mas todo resultado tem um preço. Um atleta dedicado com as capacidades de mobilidade e flexibilidade terá um rendimento superior a um que não tenha, por mais esforçado que seja. Vale salientar que mesmo que atinja a alta performance, este atleta poderá ter algumas lesões, que se praticasse e desenvolvesse mobilidade e flexibilidade, poderia evitá-las e desempenhar melhor.” complementa.

Mobilidade é movimento

Para os que querem começar agora mesmo a adquirir mobilidade e flexibilidade, Tatiana tem uma dica: se movimente. Segundo ela, o ideal é dar o pontapé inicial o mais rápido possível. “Comece hoje mesmo. Conforme vamos envelhecendo a tendência são as articulações ficarem mais rígidas, então procure um profissional qualificado para ajudar você aos poucos ir trabalhando esses quesitos e tenha paciência, com dedicação aos treinos você vai sentir seu corpo todo mais flexível e maleável, prevenindo lesões e reduzindo dores.”, finaliza a profissional com bastante incentivo aos atletas e iniciantes.

Conheça o profissional

Fisioterapeuta TatianaTatiana Mellek Tramontina é fisioterapeuta que tem como missão profissional ajudar as pessoas através do exercício físico. É apaixonada pelo movimento, por isso se empenha em buscar sua melhor versão e passar isso ao máximo para seus pacientes. Atualmente tem seu próprio estúdio de Cross Pilates.

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados