Posted in:

Medicina Esportiva: Como tratar atletas lesionados?

Utilizando da Medicina Esportiva para tratar Atletas Lesionados
Medicina Esportiva: Como tratar atletas lesionados?
Este texto te ajudou?

Utilizando da Medicina Esportiva para tratar Atletas Lesionados
Tratar seus atletas é tão importante para ele quanto para sua equipe

Segundo informações da Medicina Esportiva, as lesões sofridas por um atleta acabam afetando a todos da equipe e nos esportes em geral é muito comum que elas aconteçam.

Para os esportistas de elite a recuperação é algo que deve acontecer rápido e existe uma cobrança, quase uma obrigação.

Isso acontece para que ele não perca o ritmo das competições e possa seguir cumprindo seus objetivos, toda equipe deve ficar atenta quando um dos esportistas acaba sofrendo uma lesão que possa ser grave.

Na maioria das vezes os atletas acabam voltando a competir depois de algum tempo, sem que a lesão se torne um trauma.

É importante estar atento, afinal, os atletas de elite e a rápida recuperação de suas lesões é algo que deve ser observado com atenção.

Quando um atleta sofre uma lesão (seja ela uma fissura, fratura, ruptura) temos que estar muito atentos ao apoio que vamos lhe dar, como também ao tempo necessário para a recuperação, que podem ser muito inferiores ao que é necessário para pessoas que não são atletas.

Entendendo os diferentes tempos para a recuperação

É dito na Medicina Esportiva que é importante que o treinador entenda o tipo de lesão sofrida para saber como agir na recuperação dos atletas.

Há lesões em que o atleta tem que parar de competir e ficar de repouso após intervenção cirúrgica, já outras apenas com algumas medidas o competidor pode voltar as suas praticas, mesmo acabando de sofrer alguma lesão.

Segundo a Medicina Esportiva existem lesões que precisam de tempos fixos para a recuperação. ou seja, elas demora um tempo determinado para se curar e muitas vezes não ha muito (ou não ha nada) o que fazer.

Veja um exemplo: uma cirurgia de ligamento demora um tempo mínimo de 6 meses para que o atleta se recupere, ou seja: esse é o tempo que demora para que o ligamento afetado seja substituído.

Há outras ocasiões que o tempo pode variar dependendo de diversas circunstancias. por exemplo, é diferente uma pessoa que sofreu uma torção no tornozelo e tem que ficar umas duas semanas com os pés imóveis de um esportista.

No caso do atleta é comum aplicar-se medidas para evitar a dor e bandagens funcionais para que ele possa seguir competindo imediatamente, sem que isso aumente seus riscos de prejudicar ainda mais a lesão que sofreu.

 

O papel do treinador na recuperação do atleta.

O treinador, que tenha conhecimento de Medicina Esportiva e com a sua capacitação, também pode (e deve) intervir para melhorar a motivação e autoconfiança do atleta que acabou de sofre uma lesão.

O esportista acaba ficando mais frágil psicologicamente devido a mudança da sua situação, ou seja: o impedimento de competir ou treinar devido a lesão sofrida.

Para isso é necessário não criar falsas esperanças e expectativas no atleta, o ideal é informa-lo quais sãos os benefícios da intervenção que ele sofreu, explicar bem que lesão foi e tratar sempre da recuperação para que ele possa voltar as atividades.

Devemos ser sinceros e ter cautela ao explicar o que isso ira causar a curto, médio e longo prazo.

Como já foi dito, temos que ser realistas para que isso sirva como ajuda, uma boa saída pode ser utilizar como exemplo outros atletas que já sofreram lesões do mesmo tipo e voltaram a competir, para que seu atleta que sofreu lesão se sinta motivado e perceba que também poderá superar a lesão e voltar a competir.

Esse exemplo que utilizamos causa mais efeito quanto mais respeitado e conhecido for o atleta utilizado como exemplo, e também quanto maior for a semelhança existente entre seu atleta e o esportista escolhido .

O trabalho a ser realizado para reabilitar, o tempo de recuperação, as dificuldades que vão aparecer no processo e a atividade esportiva previa e posterior a lesão são assuntos que devem estar em pauta no dialogo com um atleta lesionado.

O que com o avanço da Medicina Esportiva tem crescido cada vez mais de nível.

Outra questão que melhora a motivação e a autoconfiança do esportista que sofreu uma lesão é a participação efetiva do fisioterapeuta junto com o treinador na hora de tomar as decisões sobre os objetivos e os planos para a recuperação desse atleta.

Para que o atleta lesionado não fique desmotivado durante o processo, é importante que sejam estabelecidos objetivos finais, objetivos intermediários e objetivos imediatos para o processo de recuperação.

A parte em que o treinador pode influenciar e participar com mais intensidade é na hora de estabelecer os objetivos esportivos (isso deve ser feito com a participação do esportista, que pode tomar junto essas decisões) no processo de recuperação.

A busca deve ser sempre a melhora do atleta, dessa forma influenciando em qualquer um dos aspectos sejam eles físicos, técnicos ou táticos.

Depois de uma vez que estão estabelecidos os objetivos esportivos com a participação do atleta lesionado o importante é que o treinador ajude o esportista na caminhada para alcançar a recuperação e esteja sempre preocupado com seu progresso. Para que os objetivos esportivos motivem e auxiliem o atleta lesionado é necessário que o esportista perceba como algo que o ajudara a melhorar como atleta, pois quando superar a lesão, ele voltara a sua atividade normal.

Outro momento fundamental onde o treinador deve participar ativamente é na hora de preparar a reabilitação do atleta.

Depois que a lesão for superada, o esportista deve voltar a sua atividade normal e é muito importante ter em mente o fato de que esse atleta esteja totalmente curado da sua lesão.

Isso não quer dizer que ele esteja prepara para voltar a competir e devemos cuidar de seus aspectos psicológicos. Esses aspectos podem ser cruciais no momento de voltar a competir.

O mais indicado é que sejam estabelecidos objetivos progressivos, ou seja: ele deve voltar as atividades de maneira gradual.

No caso de um corredor, por exemplo, uma corrida de 15 minutos, logo apos uma de meia hora e assim ir progredindo para que ele possa ir se adaptando novamente a realidade de quem treina para competições.

Segundo informações da Medicina Esportiva, nessas primeiras voltas é importante que o treinador estabeleça, tanto enquanto ao rendimento, como também os objetivos na realização deles e não somente focado nos resultados.

E é obvio que esses objetivos também devem estar claros para o esportista.

 

Como se recuperar de lesões?
Como se recuperar de lesões?

Lesão que não são tão graves.

Lesões que para uma pessoa que não é atleta pode ser muito grave, como uma pancada em uma partida de futebol com os amigos, para um atleta pode ser algo muito mais simples.

Repouso, gelo e tempo podem curar.

Muitas vezes sobrecarregamos as lesões sofridas e se damos muita importância ou repercussão do que elas de fatos merecem.

O tipo físico influencia.

O fato dos atletas serem pessoas jovens, muito preparadas e capacitadas fisicamente ajuda para que os tempos de recuperação sejam menores.

Os corpos dos atletas estão acostumados a ser submetidos a muitos esforços e respondem com maior agilidade que as pessoas que são sedentárias ou tem menor nível de preparação física.

Capacidade mental para o enfrentamento da lesão.

Além do físico, o preparo mental e psicológico do esportista também será mais sólidos.

Mentalmente os atletas estão preparados para lidar com situações adversas e isso faz com que saibam responder melhor diante de lesões , se mostrando mais energéticos e envolvidos, isso ajuda muito na recuperação.

O acesso a médicos técnicos.

O acesso a equipe especializada faz toda a diferença.

Os profissionais do esporte tem acesso mais rápido a todos os tipos de provas diagnosticas e tratamentos, sejam eles preventivos ou curativos.

Faz toda a diferença visitar 7 especialistas em 3 dias que te peçam tratamentos dos mais vários tipos do que ter que esperar três semanas ou mais a uma consulta em um medico no posto de saúde e depois mais um mês para que façam o retorno.

Nesse caso o acesso a profissionais qualificados faz toda a diferença.

Trabalhar com um equipe conectada e envolvida

Não é só com o conhecimento da Medicina Esportiva, ou o acesso a medicamentos e procedimentos médicos de forma imediata que ajuda na recuperação.

Também é importante não esquecer que os atletas profissionais carregam toda a equipe junto.

De treinadores, fisioterapeutas, preparadores físicos, nutricionistas, médicos de varias áreas até os psicólogos.

Ter acesso a esses profissionais potencializa o efeito de qualquer terapia e ajuda a aperfeiçoar o tempo de recuperação.

 

O que você achou das dicas da Medicina Esportiva? Agora você sabe a importância de assistir seu atleta enquanto ele estiver lesionado, tanto fisicamente e psicologicamente.

Então compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.