Práticas esportivas

Entenda por que é tão importante continuar treinando durante a quarentena e confira as dicas de treinadores

single image

Independentemente do nível de prática do atleta, parar a rotina de exercício causará grandes impactos na sua performance. A reversibilidade é um princípio que fala sobre o assunto, onde o praticante, ao pausar a rotina de atividades físicas irá perder seus ganhos por conta da interrupção, por isso é essencial saber a importância do treino na quarentena e como buscar por ferramentas que ajudem neste processo.

Para auxiliar a manter o ritmo de treino e trazer inspiração, conversei com 3 treinadores para entender sobre o impacto dos exercícios durante o isolamento social. É importante ter o conhecimento do que fazer e como fazer neste tempo, então segue o conteúdo sobre a importância do treino na quarentena.

A voz dos profissionais

Para compartilhar um conteúdo relevante, é necessário buscar por embasamentos de quem domina o assunto, sendo assim, a voz do profissional importa. Fica aqui uma breve apresentação dos 3 treinadores de Educação Física que auxiliaram na construção deste artigo:

Luis Eduardo: Amante da profissão de Educação Física, Luis Eduardo é maratonista e sócio fundador da Limiar Consultoria Esportiva que fica em Fortaleza. Graduado pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR Gestor da Assessoria Unimed Ativa. 

Instagram da Limiar Consultoria

Márcia Pulsar: Conhecida como Márcia Pulsar, é formada em Educação Física pela UFMG e Pós Graduada em atividades recreativas e de rua. Ela é representante da Pulsar, assessoria esportiva que existe há 12 anos. Os treinos da assessoria ocorre na Lagoa da Pampulha. Os treinos são personalizados para o atleta de forma individual.

Instagram da Assessoria Pulsar

Níkolas Nascimento: Membro da Academia Brasileira de Treinadores do Comitê Olímpico do Brasil (COB) Níkolas é diretor da NÍK-Treinamento Esportivo – Assessoria Esportiva de BH com mais de 700 pódios em corridas. Profissional de Educação Física (bacharelado e licenciatura) formado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNIBH).

Instagram da NÍK Treinamento

Os efeitos e benefícios de treinar em casa

Agora é momento de adaptação, para isso, é necessário entender as novas dinâmicas do isolamento social e do trabalho home office, logo, moldar a sua rotina de serviço com a rotina esportiva é muito importante. Ela vai ajudar a dar um gás no seu dia a dia, além de, possivelmente, evitar os problemas de uma vida atarefada.

Na fala do treinador Luis Eduardo:

“O momento apresenta uma nova oportunidade para conhecer novas atividades e se descobrir no esporte. O meu foco e da Limiar é no aluno, então o benefício momentâneo são as novas habilidades que o atleta pode descobrir com a prática contínua de atividades físicas em casa com o treino personalizado.”

O atleta não terá o mesmo rendimento com exercícios em casa na quarentena igual com os que são feitos de forma outdoor. Os ambientes são diferentes e, ao analisar cada um, é possível ver as diferenças, como a conexão com a natureza na prática ao ar livre. Em casa, o estímulo não vem de forma externa (terreno, pessoas, natureza), mas sim de forma interna, desde o foco até a rotina.

A treinadora Márcia discorre sobre um tópico importante: a execução não será feita em carga máxima.

“Um dos efeitos da prática em casa é a execução dos treinos em submáxima, ou seja, se o atleta tem um ritmo de corrida em 10 km/h, ele consegue correr em 8 km/h. Sendo assim, ele vai manter um ritmo mas não será o mesmo de costume, pois as adaptações do espaço não oferecem as mesmas condições que um treino de rua, por exemplo.”

O benefício vem do estímulo para manter o condicionamento físico. O objetivo é manter a saúde física e mental dos atletas, pensando na sua individualidade e no retorno que eles terão pós pandemia do novo coronavírus. O importante é não ficar parado!

Diferente de quem não treinar, o atleta que mantém a prática terá como benefício da continuidade, pois não será necessário recomeçar do zero, mas sim continuar com a sua rotina.

Por fim, o treinador Níkolas aponta para os benefícios e efeitos de continuar treinando em casa:

“Destaco dois deles: o da não inclusão das pessoas em um quadro de sedentarismo, sendo este um fator de risco de saúde importante de acordo com a OMS. A manutenção da prática de algum tipo de exercício, com pelo menos 150 minutos por semana, irá fazer com que as pessoas se mantenham fisicamente ativas. Um outro benefício importante é em relação aos aspectos psicológicos, pois as respostas hormonais induzidas pelos exercícios, produzem sensações de bem-estar e minimizam entre outros, a ansiedade e a depressão.”

Sendo assim, a prática tem como maior benefício o estímulo para gerar bem estar no indivíduo, além de auxiliar na queda de doenças psíquicas, como a ansiedade e depressão. A importância do treino na quarenta vai além dos benefícios citados, ela também vai ajudar a acostumar com novas rotinas e saber que o principal foco para o atleta é o treino!

Adaptação necessária na quarentena

É necessário pensar em modos de reinventar sua rotina para tentar não perder o costume dos treinos. Para tal objetivo, é essencial buscar a adaptação, mesmo em treinos que são realizados em casa. Na fala do Luis:

“O ser humano não vive sem a sensação de endorfina, então agora com os treinos em casa é uma possibilidade de reinventar e descobrir novas oportunidades para os atletas. É essencial gerar a sensação de bem estar que os exercícios oferecem. Adaptar a nova rotina é necessário para não criar sensações negativas ou acabar tendo doenças psíquicas como ansiedade.”

Sempre que possível, é necessário buscar novas saídas para o esporte. Se ele serve para proporcionar bem estar e qualidade de vida, o atleta tem como prioridade entender a realidade que está inserido para manter a sua rotina, seja ela de forma adaptada ou não.

“Usando a Limiar como exemplo, ela adaptou todos os treinos dos seus alunos. Penso que o momento também precisa de novas soluções, tanto que ela forneceu um ‘bônus’ para o aluno ficar na assessoria. Há modificações para a categoria escolhida, com aulas guiadas e personalizadas. O atleta agora possui mais treinos do que antes.”

A mesma preocupação ocorreu com a Márcia, pois o contato íntimo é necessário.

“A Pulsar contatou todos os seus alunos de forma individual (e por telefone) para adaptar os treinos. Fiz isso pois a Pulsar pensa na forma individual de cada atleta, além de sempre manter o contato próximo com eles.”

A adaptação vai além da prática contínua. Ela afeta outros setores da vida do praticante, seja emocional ou mental. 

“A adaptação é necessária para o momento, já que agora os atletas conseguem focar em ter saúde física e mental, que são tão importantes em tempos de isolamento social. Além de evitar perder o ritmo de treino (e acabar entrando no sedentarismo).”

O treinador Níkolas acrescenta que a adaptação para os exercícios em casa, se feitos de forma correta, ajudarão o atleta a minimizar as perdas da forma física alcançada anteriormente. Para além, ele cita 2 princípios fundamentais para o momento:

“Sabemos que existem princípios no treinamento esportivo, como o da continuidade, quando os praticantes se mantém ativos de forma regular, desenvolvendo e aperfeiçoando a forma física. Entretanto, também existe o princípio da reversibilidade, ou seja, ao abandonar a prática de exercícios físicos, as adaptações dos treinamentos são perdidas, diminuindo a forma física em função disto.”

Parar com as atividades físicas não é viável!

Em uma frase mais do cotidiano, Luis acha que é um ‘tiro no pé’ interromper a prática.

“É o maior erro que a pessoa pode cometer no momento. O isolamento faz com que você tenha uma mente ‘vazia’, podendo também levar ao sedentarismo pela ausência da prática. Aliás, isolamento e sedentarismo se estiverem aliados, podem gerar depressão.” 

Ou seja, em tempos de quarentena, você atleta não fique sem treinar! É com a prática contínua de exercícios, seja ela em qualquer intensidade, que os problemas citados pelo treinador poderão ser amenizados.

Agora não é hora de mensurar rendimento, mas sim a frequência. Mas também tenha cuidado com o excesso. Ele pode ocasionar lesões e nessas horas ela não é nada interessante (em nenhum momento é).”

Luis faz um convite a todos os profissionais para incentivar a prática esportiva. Seja com uma live nas redes sociais, uma prática que possa ser vista por muitos como na quadra do seu prédio (caso tenha) e afins. A visibilidade do profissional é que vale, por isso é necessário o posicionamento. Não deixe que o assunto seja dito por alguém que não o domine.

Em conjunto, a Márcia acredita que a falta de exercícios físicos vai gerar ansiedade e depressão nos praticantes, como outras doenças. 

“A atividade física vai proteger desses problemas (ansiedade e depressão), pois ela é uma auxiliadora. O atleta ficará com a mente mais sadia, então ele não pode parar os exercícios, pois sairá desta pandemia do novo coronavírus como indivíduo melhor. O aluno, por já ter o costume de praticar de maneira contínua é um ser com boa saúde.” 

Assim, o esporte, em todos os casos apresenta ótimos resultados. No momento que estamos de isolamento social, ele deve estar presente na rotina, nem que seja o mínimo, pois assim todos conseguem ter estrutura, tanto física e mental para o recomeço das atividades pós quarentena. Márcia fecha o assunto dizendo que “o esporte é o remédio do dia a dia.”

5 dicas essenciais para você!

Para pôr em prática tudo o que foi dito, aqui vão algumas dicas que foram deixadas pelos profissionais de Educação Física:

Treine o mínimo que seja

Os atletas podem estar acostumados com um tempo fixo, buscando sempre a evolução e participação em provas, campeonatos ou desafios. Contudo, o momento requer atenção e cuidado. Treinar menos é melhor do que não treinar, então atinja pelo menos os 150 minutos recomendados pela OMS. Essa é a recomendação do Luis e Níkolas para os atletas.

Acredite nos profissionais

“A prioridade é você consultar o que os profissionais ou a sua assessoria estão prescrevendo. A segurança da informação importa, então escutar quem tem embasamento é muito importante.”

Essa é a fala do Luis. O importante é dar voz para um profissional e não qualquer pessoa. Esteja atento e, caso surjam dúvidas, consulte a sua assessoria ou seu treinador.

O Níkolas acredita que é muito importante que os atletas conversem com os seus treinadores frequentemente, para que assim, os seus treinos estejam sempre bem ajustados à aptidão física do momento que o atleta está. O fornecimento de feedback é fundamental para que a qualidade dos treinos sejam as melhores possíveis. 

“A facilidade e a comodidade que a plataforma Treinus oferece em relação a isso é então, uma super ferramenta, aliada de todos nós.” 

Faça um cronograma 

Luis, Márcia e Níkolas deixam essa dica para os atletas. É necessário que a nova rotina esteja com os exercícios incluídos, sejam eles em horários fixos ou alternativos. Como impacto, o organismo acostuma com a prática, além da regularidade que terá no novo ambiente. Assim, o atleta vai continuar tendo resultados com a prática contínua de atividades físicas.

“É preciso definir o tempo e qual o horário durante o dia que irá praticar, para fixar a sua rotina. Mantenha tudo anotado e com datas, pois as suas planilhas precisam continuar com o progresso. Por todos estarem em casa, fica mais fácil burlar os treinos, seja vendo TV ou ficando no smartphone. O foco vem a partir da agenda (com tudo definido) e rotina para não perder o costume. Elas irão ajudar a não procrastinar e evitar as distrações. Assim, o atleta fica satisfeito e consegue seus resultados.”

Assim, fica mais fácil planejar seu dia e render nos exercícios.

Conheça novas práticas

“Se permita conhecer novas atividades, pois agora também é tempo para se reinventar. Aproveite e convide ou interaja com os seus familiares. Tenha harmonia com as pessoas ao seu redor e tente fazer exercícios com eles. É para ter o sentimento de gratidão que o exercício lhe oferece, e com novas práticas você também pode alcançar este objetivo!”

O treinador Luis oferece essa reflexão como dica, pois como o cenário também faz com que as pessoas estejam mais pertos dos familiares, esse é um tempo para criar mais conexões com eles. Não pense no esporte como forma isolada. Ela pode sim estar em conjunto com outros, contudo neste caso apenas com as pessoas que moram na mesma residência e não com pessoas de fora.

Invista na Calistenia

“Uma dica muito legal e que pode atender a grande parte da população em confinamento que não dispõe de estrutura de academia é a prática da calistenia. Sua etimologia vem do grego ‘cheio de vigor’, e é um meio de treinamento que utiliza o peso do próprio corpo para o treinamento físico. De acordo com a arquitetura do corpo humano, são diversos os movimentos possíveis nos quais podemos oferecer resistência aos músculos.” 

Níkolas fecha as dicas com esse grande conselho. Muitos não devem possuir os equipamentos necessários para a prática, sejam pesos ou uma esteira, por exemplo. Contudo, no caso da calistenia, o único suporte é o corpo. Veja se a sua assessoria está investindo também nesta ferramenta, e confirme se é o recomendado para a sua ocasião.

Mantenha a prática de atividades físicas!

Agora com tudo organizado e com o conhecimento compartilhado por profissionais do esporte, não há motivos para não treinar em casa. Separe sua roupa e tênis para o esporte, e faça as suas atividades. Caso ainda tenha dificuldades com os treinos, entre em contato com o seu treinador ou assessoria para todos se ajudarem nesse momento.

Um agradecimento especial para o Luis da Limiar, a Márcia da Pulsar e o Níkolas da NÍK – Treinamento Esportivo pelo suporte para criar o conteúdo.

E você, gostou de conteúdo? Não esqueça de compartilhar nas redes sociais!

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados