Qualidade de vida

Por que descansar? Saiba tudo sobre a importância do descanso esportivo para o corpo e a mente

single image

Ter constância nos treinos, traçar estratégias de acordo com seus objetivos, se organizar para conseguir se dedicar ao esporte, contar com auxílio profissional. Todos esses pontos são pilares indissociáveis para alcançar a alta performance esportiva, mas existe um outro aspecto tão importante quanto e muitas vezes esquecido e que potencializa o resultado dessa combinação de fatores: a importância do descanso pós-treino.

Considerado uma das etapas decisivas da atividade física, com o descanso, é possível além de recuperar-se fisicamente e mentalmente, ponderar sobre os treinos, nutrição, aprender mais sobre o esporte e, com isso, melhorar o desempenho e deixar a prática menos estressante. Em contraponto, quando um atleta não descansa tanto quanto deveria alguns sinais físicos e psicológicos começam a aparecer como queda no desempenho, lesões, cansaço excessivo, irritação e depressão.

Segundo o profissional de educação física e treinador Valdecarlos José dos Santos, logo após o treino, começa o processo de regeneração no corpo e é nesse momento em que realmente acontecem os ganhos e principalmente evita-se as lesões, tornando o descanso tão importante com a prática da atividade, responsável por evitar, dentre outros problemas, que se gere acúmulo e desgaste na musculatura e articulações. “Sem o descanso adequado, o acúmulo ou sobreposição de treinos, afeta o próprio treino, quando um atleta, principalmente amador, começa a incrementar várias atividades, além da sua rotina normal (família, trabalho), começa a perder rendimento, mostrar sinais de fadiga, irritação e até mesmo pode vir a parar de treinar” alerta o educador físico.

Qual a forma certa de descansar no pós-treino?

Existem várias formas de descanso e repouso, segundo Valdecarlos, pode ser ativo ou passivo, dependendo da intensidade, duração e dos tipos de treinos. Para ele, de modo geral, entre uma sessão e outra de treinos, o repouso deve ser de 12 a 72 horas, já o descanso entre as séries, está diretamente ligada à intensidade, nos treinos intervalados, o repouso entre uma série e outra varia de 30 segundos a dois minutos. Por fim, o descanso pode ser ativo, realizando uma atividade em intensidade muito baixa ou pode se ter um repouso passivo, quando não se deve fazer nenhuma atividade.

O tempo de recuperação também é particular a cada um e tem ligação com o volume e a intensidade do exercício. “Pode durar de 12 a 72 horas. Por exemplo, um treino na zona 2 (65-70%) com duração de até uma hora, não precisa mais que 24 horas de repouso. Já um treino intervalado de força e velocidade, pode precisar de até 72 horas de repouso”, esclarece.

Portanto, a melhor forma de saber se está descansando corretamente é conversando com seu treinador, ouvindo seu corpo e, principalmente, adequando ao seu planejamento: “Quem tem planos, não se surpreende com fadiga”, inspira Valdecarlos.

A importância e os impactos do descanso pós-treino

O descanso age no organismo como um restaurador de danos, quando não o promovemos de forma adequada, o corpo sofre e apresenta sinais de overtrainning, ou seja, fadiga pelo excesso de treino. Os impactos podem ser percebidos diretamente como irritação e mau humor e podem desencadear quadros mais graves como a depressão, fadiga crônica, desistência e em casos mais severos a morte. “Costumo recorrer ao antigo desfragmentador de disco que tinha no Windows 95 (eu sei é do século passado como eu), nele a tela parecia um quadro com centenas de quadrados aleatórios que ia se organizando, e otimizando o desempenho. Quando entramos em repouso de forma adequada, nosso corpo começa uma reparação e “conserto” dos danos provocados pelo treino, tornando nossa estrutura mais forte.”, revela o treinador.

Além dos efeitos para o corpo, a falta de descanso também tem relação direta com a saúde mental, pois, quando o repouso não acontece de forma adequada, automaticamente o rendimento não vem como o esperado. Assim, o atleta começa a querer forçar mais o treino em busca de um resultado que não vem e é nesse momento em que podem ocorrer as lesões, uso de substâncias de forma abusiva, aumento da agressividade e quadros depressivos.

O treinador também explica que mesmo que seja possível ter resultados sem o descanso correto, essa prática não é sustentável e que o mais indicado é que o atleta ajuste os treinos à sua rotina levando em conta o tempo de realização da atividade, os repousos e também o horário para aproveitar a vida com melhores resultados. “O planejamento estruturado de treino, adequado à rotina, deixa tudo mais leve, não adianta tentar ser um ultramaratonista, quando sua rotina lhe permite ser um praticante de 5 km. Também não é sustentável ignorar o descanso, porque por mais que no começo essa estratégia traga resultado rápido, em breve, virá a fadiga, lesão e abandono do esporte”, ressalta o treinador.

Descanso também é treino

Não há forma padrão de descansar, mas de modo geral, repousar, dormir, se nutrir e hidratar adequadamente, fazer massagem, criogenia, são formas que aceleram a recuperação no repouso e são essenciais para o bom desempenho do atleta.

Valdecarlos reforça que para atingir a máxima performance é preciso estar descansado e recuperado: “Só com o devido descanso é possível fazer sessões de treinos com mais qualidade, atenção e sem erros de execução.”. Além disso, o treinador também explica que praticar atividade física todos os dias, sem pausa, pode interferir na qualidade do treino e, principalmente, no descanso “Nas atividades que exigem treinos todos os dias, e às vezes mais de uma vez por dia, precisam ainda mais de organização para evitar o desgaste.”, complementa.

Mas afinal, qual fórmula para que os bons resultados apareçam e perdurem? A resposta está naquela mesma matemática básica que deve ser usada para tudo na vida: o equilíbrio. Com planejamento, organização e apoio profissional fica mais fácil seguir a estratégia certa e de acordo com seus objetivos, sem sobrecarregar o corpo e a mente. “Muitos atletas simplesmente saem correndo, sem indicação do treinador e sem se planejar. Isso é o melhor jeito de fracassar. Para obter resultados, planeje e esteja equilibrado.”, finaliza o profissional.

Conheça o profissional

Treinador ValdecarlosValdecarlos José dos Santos é treinador de corrida há 20 anos. Gosta de correr, descansar, dormir logo após os treinos. Durante a entrevista para essa matéria estava nos 1.000 km Brasil, maior ultramaratona da América do Sul, onde acompanhou seu atleta competidor. Já correu 13 maratonas, 2 vezes a maior de Berlim e dezenas de outras provas, hoje se dedica a treinar campeões.

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados