Qualidade de vida

Descubra quais são as principais causas da insônia para combater de vez esse problema

single image

Dificuldades em dormir ou em conseguir manter um sono contínuo durante a noite são desafios comuns enfrentados por 72% da população brasileira, de acordo com estudos da Fundação Oswaldo Cruz (2023). Conhecidas como causas da insônia, elas são diversas e complexas, estando intimamente ligadas a uma variedade de fatores físicos e emocionais.

Quem convive com esse distúrbio acaba por enfrentar dificuldades que vão além de uma noite mal dormida. De falta de concentração até alterações no humor, esses são alguns sinais de que ela está impactando negativamente sua qualidade de vida.

Para acabar de vez com esse problema, conheça aqui as 8 principais causas da insônia e como combatê-las para conquistar noites de sono mais tranquilas!

8 principais causas da insônia 

As origens desse problema são diversas, sendo influenciadas por vários fatores, muitos dos quais encontrados em situações cotidianas. A constante exposição a estímulos por meio das telas, a pressão diária e a falta de uma rotina regular de sono contribuem para desencadear as causas da insônia, que você confere a seguir: 

8 possíveis causas da insônia na sua rotina

1. Doenças mentais

A insônia frequentemente está interligada a condições de saúde mental, destacando-se a ansiedade e a depressão como influências significativas. 

A ansiedade, caracterizada por preocupações excessivas e por sensação constante de apreensão, pode desencadear dificuldades em relaxar o suficiente para adormecer. Os pensamentos intrusivos e a hiperatividade mental associados a essa doença mental contribuem para a incapacidade de alcançar um sono tranquilo. 

Da mesma forma, a depressão, que é marcada por sentimentos persistentes de tristeza e falta de interesse na rotina, pode causar distúrbios no padrão de sono. A ausência de energia e de motivação ligada ao problema pode acarretar a insônia, manifestando-se num sono fragmentado. A deficiência de receptores de serotonina influencia os despertares noturnos, agravando ainda mais o estado emocional.

2. Falta de higiene do sono

A falta de higiene do sono desempenha um papel significativo no desenvolvimento da insônia. Por isso, é necessário adotar hábitos para manter a qualidade do repouso, como estabelecer horários regulares de descanso, criar um ambiente propício e evitar estimulantes antes de deitar. 

Também, vivenciar adequadamente as fases do sono é essencial para prevenir o problema. Irregularidades nesses estágios podem perturbar o ritmo natural do ciclo, resultando em dificuldades para adormecer e afetando a qualidade geral do seu descanso.

3. Estilo de vida

Hábitos que interferem nos padrões de sono saudáveis, como o consumo excessivo de cafeína, tabaco e álcool, podem ser possíveis causadores da insônia. Em adição, a mente agitada devido ao estresse dificulta o relaxamento necessário para adormecer, enquanto o aumento nos níveis de cortisol contribui com os despertares noturnos.

Além disso, a falta de atividade física regular também pode estar associada a uma noite mal dormida. A prática de exercícios físicos pode promover um sono mais profundo e reparador, e a sua ausência na rotina pode levar à energia acumulada, dificultando o relaxamento necessário para dormir. 

4. Ambiente inadequado para dormir

O ambiente no qual se dorme pode interferir diretamente na qualidade do sono. Um quarto mal ajustado, com temperatura desconfortável, excesso de luz ou ruídos, pode atrapalhar o processo de adormecimento e, consequentemente, a qualidade do sono. 

Também, o uso de dispositivos eletrônicos, como smartphones e tablets, antes de dormir desregula o relógio biológico, dificultando o descanso. Essas condições inibem a produção de melatonina, prejudicando os estágios mais profundos do sono. 

5. Uso de medicamentos

A influência de certos medicamentos pode desencadear problemas de insônia. Alguns antidepressivos, remédios para pressão arterial e estimulantes podem ter reações adversas que afetam diretamente os padrões de sono. 

Além disso, a dependência de medicamentos para promover o adormecimento, como os indutores de sono hipnóticos, pode levar a efeitos colaterais indesejados e até mesmo à dependência deles, agravando os problemas de insônia a longo prazo.

6. Idade

A idade é um fator significativo na predisposição à insônia. À medida que se envelhece, as mudanças naturais nos padrões de sono podem se tornar mais marcantes. 

Idosos, em sua maioria, experimentam uma redução na quantidade de sono profundo, levando a uma maior probabilidade de despertares noturnos. Além disso, a fragmentação do sono fica mais comum, com dificuldades em manter um descanso contínuo durante a noite.

7. Distúrbios hormonais

Mudanças nos níveis hormonais podem resultar em alterações nos padrões de sono. Nas mulheres, as flutuações nos níveis de estrogênio e progesterona durante essa fase podem causar desconforto, ondas de calor e outros sintomas que impactam a qualidade do sono. 

Também, outra causa da insônia é a apneia do sono, que afeta o equilíbrio hormonal durante o repouso. Interrupções respiratórias decorrentes desse problema podem levar a uma resposta de estresse, desencadeando a liberação de alguns tipos de hormônios, como o cortisol, afetando negativamente os padrões de sono.

8. Dores crônicas

Dores crônicas podem gerar problemas para dormir bem, pois elas são caracterizadas por desconfortos persistentes que dificultam a qualidade do sono.

Indivíduos que sofrem de condições como artrite, fibromialgia ou dores nas costas muitas vezes enfrentam desafios para encontrar uma posição confortável para dormir, resultando em noites agitadas e sono fragmentado.

Como combater a insônia?

Combater a insônia muitas vezes requer a adoção de hábitos saudáveis de sono e a implementação de estratégias que promovam um ambiente propício ao descanso. 

Se a insônia é causada pelo estresse, por exemplo, é possível amenizá-la ou combatê-la de vez com técnicas de relaxamento. Utilizar a meditação é uma ótima opção para controlar o excesso de pensamentos e preocupações, além de ser uma ferramenta para melhorar a qualidade de vida.

No mais, confira outras dicas que podem te ajudar a combater a insônia:

  • Invista em hobbies e métodos de respiração.
  • Crie um ambiente propício ao sono.
  • Limite o uso de dispositivos eletrônicos antes de dormir.
  • Evite cochilos durante o dia.
  • Não consuma cafeína à noite.
  • Pratique exercícios regularmente.
  • Mantenha a temperatura do quarto agradável.
  • Evite refeições pesadas antes de se deitar.
  • Garanta um colchão e travesseiros confortáveis.
  • Crie uma rotina para sinalizar o corpo sobre o descanso iminente.
  • Evite exercícios intensos próximo do horário de dormir.

Vale ressaltar que, se o seu caso for mais severo, cabe buscar ajuda médica para realizar uma avaliação detalhada de sua condição.

Com um boa noite de sono, livre da insônia, seus dias serão mais leves e produtivos!

Referências

Insônia: Prevalência e fatores de risco relacionados em população de idosos acompanhados em ambulatório 

Você já teve insônia? Saiba que 72% dos brasileiros sofrem com alterações no sono