Práticas esportivas

Saiba quais os procedimentos e cuidados para se fazer uma avaliação física corretamente

single image

Existe um consenso que permeia o mundo das atividades físicas em que todos os  atletas, experientes ou até mesmo os iniciantes, concordam: a importância de se movimentar para viver com mais saúde. Além desse pensamento em comum, há também as particularidades de cada esportista, como preferência por determinado estilo de treino, aptidão biológica, fisiológica e até mesmo as limitações do corpo. Para acompanhar tais peculiaridades e montar um treino que seja realmente efetivo para alcançar os objetivos individuais e também mensurar sua evolução, existe um mecanismo indispensável e extremamente eficaz: a avaliação física.

De acordo com Jorge Fraleon, educador físico, treinador e responsável pela Fraleon Esportes Assessoria Esportiva, a avaliação é feita em torno de diversos protocolos, com o objetivo de filtrar, definir uma série de informações e conhecer mais sobre o perfil de cada atleta, incluindo a composição corporal, condição física atual, condicionamento e aptidão cardiorrespiratória. “É importante porque é uma forma de conhecer nosso aluno, entender um pouco mais seu perfil através da anamnese, da antropometria e de testes e assim traçar um melhor programa de treino pra ele com base nos dados da avaliação e no conhecimento sobre os hábitos e a rotina.”, comenta Fraleon que é um defensor ferrenho da importância dessas informações obtidas nos testes e nos protocolos.

Para cada objetivo, uma avaliação

São vários os tipos de avaliação. Segundo o treinador, em seu Centro de Treinamento as mais utilizadas são a anamnese, antropometria, os testes de controle personalizados para corrida, mountain bike e ciclismo e a avaliação biomecânica da corrida.

Além dos mais comuns, existem outros protocolos dentro do universo da avaliação física e, como tudo no esporte deve ser personalizado, alguns procedimentos também são realizados de acordo com a necessidade de cada atleta, levando em conta a pertinência em relação às rotinas. Nesse caso, podem ser citadas as análises de capacidade física de força e o bike fit. “Cada capacidade física é avaliada de uma forma. Por exemplo: os testes de potência que podem ser incluídos numa avaliação, que são mais específicos para algumas modalidades”, explica o educador físico que também ressalta a importância do acompanhamento profissional para avaliar de maneira correta e com base nos objetivos definidos, já que cada protocolo tem sua particularidade:

1. Anamnese

São questionários realizados por meio de perguntas diretas. O objetivo é fazer o levantamento de informações sobre o estilo de vida, rotina, histórico prévio de atividades físicas e histórico de lesão para conhecer a fundo o atleta.

2. Antropometria 

É feita com a mensuração de medidas corporais, com um equipamento próprio.

3. Biomecânica da corrida 

É uma análise por meio da filmagem do atleta correndo. Pode ser feita na esteira ou na rua, onde o avaliador observa os parâmetros de como o corredor se movimenta, como seu corpo se comporta, se há alguns desequilíbrios ou fraquezas. Com seu resultado é possível traçar planos para otimizar o desempenho.

Avaliar, analisar, prescrever e mensurar

Com os resultados da avaliação em mãos é hora de analisar cada informação e, a partir delas, prescrever uma rotina assertiva de treinos. Mas, para que isso ocorra com excelência, é necessário passar pelo processo avaliativo no período correto. Para Jorge, o ideal é fazê-lo na primeira visita ao centro de treinamento ou academia para que o programa de exercícios seja feito com segurança e também para mensurar a evolução na rotina de treinamentos. “Além da avaliação prévia, a gente tem momentos de controle para refazer essa avaliação. O objetivo é ter uma ideia de como está se comportando nosso aluno e traçar novos programas de treinos para ajustar à rotina dele.”, indica o treinador.

Há também algumas avaliações voltadas para atletas que já possuem uma atividade rotineira preferencial, os chamados testes específicos de modalidade. “Com os nossos alunos da corrida, além da anamnese e da antropometria a gente vai fazer também os testes de controle próprio da corrida ou do ciclismo ou mountain bike, explica.  

Mas independente do protocolo avaliativo usado, um fator importante é que ele esteja atualizado, isso é, que seja repetido de tempos em tempos. “A antropometria aqui na nossa linha de trabalho é feita a partir de 90 dias de intervalo entre uma e outra. Os testes de controle são feitos conforme a periodização do aluno. Então, tem momentos onde é mais oportuno reavaliá-lo em campo, correndo e pedalando.”, partindo dessa premissa, o treinador ressalta também que a avaliação depende de como está distribuído o calendário de provas ou conforme o objetivo do atleta. Sendo indicado o seu controle no início de um plano de treino, na etapa de periodização, ao final de um determinado bloco de treinos e antes das competições principais. 

Considere a avaliação física uma parte do treino

Na avaliação física é possível ver que o principal ponto de atenção de qualquer prática esportiva é conhecer o atleta, entender suas necessidades e saber em que ponto ele está atualmente para, só assim, prescrever o treino de maneira mais assertiva e coerente com a realidade. É importante também que a avaliação seja feita pelos profissionais indicados, como o de educação física, o nutricionista e em algumas vezes até pelo fisioterapeuta. “O fisioterapeuta fica responsável pelos casos de avaliações de biomecânica da corrida e posturais. O nutricionista faz a antropometria e anamnese durante o acompanhamento nutricional e o profissional de educação física pode atuar com esses protocolos.”, informa o treinador.  

A partir dessa premissa, Jorge ressalta que a chance de ter sucesso nas metas relacionadas ao esporte aumentam consideravelmente. Isso porque as avaliações têm uma série de procedimentos e orientações personalizadas para cada aluno. “É necessário vir com uma roupa apropriada e fazê-las sempre antes de uma sessão de treino, nunca após. Também tentamos padronizar ao máximo, sendo sempre o mesmo avaliador e os mesmos horários, para ter um cenário sem interferências e minimizar qualquer variação nesses dados.”, finaliza.

Conheça o treinador

profissional jorgeJorge Fraleon é treinador e responsável pela Fraleon Esportes Assessoria Esportiva. 

Especialista em Treinamento Esportivo e Psicologia Esportiva, atua principalmente com corrida de rua e montanha, mountain bike e preparação física dentro de seu centro de treinamento. Também é praticante de Mountain Bike há 16 anos, tendo participado das principais provas do Brasil.

 

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados