Qualidade de vida

Carmem Machado: uma história de equilíbrio e motivação no esporte

single image

O mundo dos esportes, além de todas as suas diversas características, carrega também um componente especial: a paixão pelo movimento, pelos desafios, conquistas e por se sentir vivo a cada atividade. Todo esse amor fez com que Carmem Machado, hoje aos 60 anos, flertasse com o esporte durante toda sua vida: desde as atividades corriqueiras da adolescência, até o atletismo amador.

Com hábitos ativos desde a adolescência, ela sempre praticou diversas modalidades, até que em 2002 o retorno gradativo às corridas, tanto na rua quanto na esteira, aconteceu. “Houve um hiato em que engordei tanto que era impossível correr. Eu queria muito, mas o médico me explicou os porquês de não praticar corridas estando acima do peso. Em 2014, fiz uma cirurgia bariátrica.” revela Carmem.

Aos poucos, o esporte teve uma nova chance em sua vida, em forma de caminhada e, tempos depois, em corrida. “Comecei a correr durante a prática de caminhada, para me distanciar de uma pessoa que ingressou no calçadão absurdamente perfumada, às 7 horas da manhã – e um perfume que considerei ruim!”, brinca a atleta.

A partir dessa história cômica, a expressão que diz “dali não parei mais” começou a se encaixar perfeitamente à rotina de Carmem. Como ela mesmo diz, a atleta é encantada pelas corridas e, por ela, poderia participar de todas as provas. “Eu sou atleta amadora, costumo fazer o máximo de Provas que o meu Treinador permite. Por mim, corro todas. Adoro.”, enfatiza.

Com tanto amor pela corrida fica fácil conciliá-la com o seu dia a dia fora das pistas. Para ela, a vida esportiva vem antes da vida pessoal e, quando o assunto é o lado profissional, Carmem sempre teve a sorte de contar com empregos onde conseguia mover seus horários, tanto para treinar, quanto para viajar durante as provas. “Eu sempre acordo muito cedo, então mesmo em domingos e feriados, quando teoricamente temos compromissos sociais, quando está na hora do pessoal chegar ou me receber, ou me encontrar – já treinei. E nos demais dias, quando as pessoas pensam em acordar, meus compromissos com a casa já estão prontos”, explica a atleta que prioriza o esporte e encaixa nele sua vida pessoal.

Quanto mais apoio, mais longe

Segredo para alcançar tudo a que se propôs não há. Mas, de acordo com Carmem, uma coisa foi fundamental: o apoio de profissionais da área para ajudá-la em cada passo.

“Quando decidi voltar a correr procurei saber de alguma Assessoria, pois quando corria, há 18 anos, não havia – eu me guiava pela Copacabana Runners, que encontrei na Internet”, diz a atleta.

Com o encontro com a assessoria esportiva veio também uma disposição ainda maior. A atleta voltou às corridas com força total e seguindo rigorosamente as determinações do Treinador, mesmo que de forma on-line. “Jamais falho um treino, estou sempre treinando para alguma prova: planilha feita, planilha cumprida.”, acrescenta.

A corrida para o equilíbrio

Os benefícios do esporte podem ser vistos em diversas áreas da vida da atleta, para Carmem o maior deles é o equilíbrio. Por meio da corrida ela conseguiu maior qualidade em sua saúde física, mental, espiritual e até emocional. Não à toa, a prática ganhou cadeira cativa em sua rotina ativa, que reúne novos hábitos de sono, alimentação, círculo de amigos também ligados às suas prioridades e um encontro constante consigo mesma.

Além de todas as conquistas pessoais, a atleta também revela uma paixão imensa: distâncias e desafios. Todo esse amor pôde ser percebido desde a sua primeira prova, em 2015, começando na corrida com 3 km, depois 10 e 21 km. “Os 21 km foram épicos, foi o nirvana, eu era Meia Maratonista! Em 2018 me sagrei Maratonista e, ao terminar, já me prometi correr o Desafio da Cidade Maravilhosa no ano seguinte.” revela animada por ter conquistado tudo que se propôs e também preparada para os desafios que estão por vir. A ideia aqui é manter-se em movimento e correr cada vez mais longe e em mais lugares, seja em Nova York ou no Saara.

Falta de motivação? Aqui não!

Quando questionada sobre os dias de indisposição, Carmem é taxativa e reitera que a falta de ânimo não tem vez em sua rotina. E sua dica para que os iniciantes no esporte também não percam para a preguiça é procurar, logo no começo, uma Assessoria Esportiva. “Tudo fica mais fácil e rápido do que tentar fazer sozinho e sem conhecer, simplesmente sair por aí correndo. É bom ter quem estude para ti, tu só precisa correr.”, incentiva a atleta que defende também a importância do aporte profissional para escolher a modalidade certa, os objetivos e o plano de treino para alcançá-los. Como ela mesma diz: descubra qual é a sua turma e vá!

Sobre a atleta

Carmem MachadoCarmem Machado é apaixonada por corrida de rua e cozinha dietética experimental. Hoje, aos 60 anos a atleta, que já trabalhou por duas décadas em Aeroportos, está prestes a iniciar os trabalhos em Turismo Esportivo. Com hábitos simples, suas atividades preferidas são cuidar da casa, ler e, é claro, correr.

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados