Qualidade de vida

Atividade física e saúde: 5 doenças prevenidas pela prática de exercícios

single image

Hoje em dia já é mais que sabido que a prática esportiva é um aliado importante para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Em contraponto, o crescimento do sedentarismo na sociedade tem agravado a condição de vida dos indivíduos. No ano passado, a OMS divulgou um estudo que um em quatro adultos é sedentário e o número entre adolescentes é ainda maior quatro em cada 5.

Esses dados estão muito atrelados ao perfil da sociedade atual. Que com o crescimento da tecnologia, videogames e serviços de Streaming, tendem a estar cada vez mais conectados com o mundo virtual e menos com o mundo real.

De acordo com a OMS, para uma pessoa ser considerada ativa, ela precisa realizar pelo menos 150 minutos de atividade física por semana. Fazer exercício não melhora apenas nossa forma física, mas também a saúde. A prática reduz o risco de sofrer com várias doenças. Isso se dá porque uma vida ativa reduz os casos de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão, obesidade, depressão e osteoporose. Saiba quais neste artigo.

Se você tem algum tipo de resistência a iniciar uma atividade física, que tal começar aos poucos? 150 minutos por semana equivalem a menos de 25 min de atividade por dia.

Acidentes cerebrovasculares

É um tipo de acidente que acontece quando nosso fluxo de sangue fica retida em uma parte do cérebro. Pode acontecer após o rompimento de um vaso sanguíneo ou mesmo porque um coágulo obstrui algum dos nossos vasos sanguíneos.

É importante ressaltar que os acidentes cerebrovasculares são uma das causas de morte mais frequentes. Os índices desse tipo de acidente vêm crescendo, seja pelo envelhecimento da população ou mesmo pelo aumento de descaso com esses acidentes.

Mesmo quando não é fatal um acidente cerebrovascular pode deixar sequelas que exigirão uma reabilitação e uma atenção médica de forma prolongada.

Pessoas que praticam exercícios cotidianamente reduzem em quase um terço esse risco.

A atividade física é importante para evitar, mas também para tratar os acidentes cardiovasculares. A recomendação geral é que  além da reabilitação os pacientes que sofreram acidentes cardiovasculares façam exercícios pelo menos três dias na semanas entre 20 minutos e uma hora.

Diabetes tipo 2

A diabetes do tipo 2 é uma das formas mais comuns da diabete. Nesses casos o corpo não produz insulina suficiente. Também podemos entendê-la como resistência a insulina.

Os sintomas incluem fome, sede, cansaço e visão turva, mas em alguns casos podem nem haver sintomas. Por isso, é importante sempre consultar um médico.

O exercício físico praticado de forma correta diminui a quantidade de glicose no sangue. Seja pelo aumento da sensibilidade a insulina, já que as células podem aproveitá-las para usar a glicose durante a atividade física, ou mesmo depois. Ou mesmo quando os músculos se contraem durante a atividade. Nesse caso se estimula um mecanismo separado ao da insulina, mas que permite que as células utilizem a glicose como fonte de energia.

Por isso, a diabetes está diretamente ligada a alimentação e também a falta de exercício. Além de prevenir, a prática de exercícios físicos também é um aliado importante para tratar essa doença.

Câncer

Além da diabetes, dos acidentes cerebrovasculares e de algumas doenças cardíacas, quem separa um tempo na sua rotina para praticar  exercício físico tem menos risco também de sofrer de câncer.

Estudos realizados na última década apontam para a redução de quase 30% na incidência de câncer no intestino.

Em grupos de pessoas que tem a atividade física como prática ativa a redução do câncer de mama pode chegar de 20 a 40%. Ou seja: no caso das mulheres quem pratica atividade física pode chegar a ter quase metade de riscos do que as que levam uma vida sedentária.

Esses estudos divulgados por sociedades de pesquisas internacionais em oncologia demonstram que quanto mais alto for o nível de atividade, menores serão os riscos. Mas é importante dizer que não se sabe com certeza qual é esse nível ideal de exercícios e que ele pode variar de acordo com cada pessoa. Por isso, é fundamental que ela seja realizada com o acompanhamento de um profissional.

Doenças mentais

A atividade física é aconselhável para todas as pessoas e em todas as idades. No casos dos idosos, é fundamental para manter o organismo ativo e funcionando de forma correta. Nas crianças e jovens ela auxilia no crescimento e na fase adulta garante a manutenção da forma física e da saúde.

Ainda que cada contexto do amplo universo das doenças mentais sejam muito específicos, não há contraindicações para  a prática de atividade física por nenhum desses grupos.

A atividade física evita o sobrepeso que pode ser causado pelas medicações utilizadas, melhorando frequência cardíaca e  consumo de oxigênio. Além disso, ajuda na criação de uma consciência corporal e aprimora as habilidades motoras.

Praticar exercícios baixa o risco do desenvolvimento de algumas complicações cognitivas principalmente em pessoas com mais de 65 anos e vale lembrar que todo tipo de atividade física diária reduz quase que pela metade os riscos de sofrermos transtornos psicológicos como a depressão, ansiedade e estresse.

Osteoporose

A osteoporose é uma doença que diminui o tecido que forma nossos ossos, tornando-os mais frágeis e aumentando o risco de fratura. Ao praticar atividade física, o sistema esquelético se fortalece porque, que trabalha ele de forma coordenada com o sistema muscular e o sistema nervoso.

Por isso é possível garantir que a prática de atividades físicas de intensidade moderada reduzem de forma significativa as chances de termos osteoporose. Além de reduzir a dor e a incapacidade derivadas da artrose, principalmente no caso dos joelhos.

Hipertensão-arterial

Desde 1989 a Organização Mundial da Saúde e a Sociedade Internacional de Hipertensão Arterial incluem a recomendação de realizar atividades físicas como uma das medidas médicas destinadas a melhorar a hipertensão arterial. Para esses casos são indicados exercícios que incluem caminhar, dançar, nadar, correr e andar de bicicleta. Essas atividades devem ser realizadas pelo menos três vezes na semana.

No caso de da prevenção a atividade física é fundamental, pois atua diretamente no sistema nervoso central. Quem pratica atividade física geralmente tem melhores condições cardíacas para as atividades cotidianas.

Dor Lombar

O sedentarismo aumenta o risco do aparecimento de dores lombares que podem se tornar cada vez mais crônicas. De maneira inversa quem está fisicamente ativo pode diminuir o risco de sofrer com elas.

Quando uma dor lombar aparece, na maioria das vezes em que mantemos a constância da atividade física ela tende a desaparecer. Por isso é recomendado não parar a atividade assim que a dor lombar apareça.

Ao mesmo tempo, como cada uma tem suas especificidades, é importante consultar e contar com o acompanhamento de um profissional.

Dicas de como começar

Se você está pensando em começar uma atividade física é importante saber algumas dicas.

O exercício por si só não garante uma vida totalmente saudável. É importante que essa prática seja combinada com uma alimentação e que as atividades sejam incorporadas a nossa rotina.

O ideal é praticar atividades físicas três vezes por semana e contar com o acompanhamento de um profissional qualificado. Além de trazer motivação essa escolha irá impedir que você sofra lesões.

Antes de começar qualquer plano de atividade física e saúde você deve consultar um profissional da área, que indicará qual a rotina mais apropriada de acordo com sua idade, estado de saúde e possibilidades de alcançar seus objetivos.

A hidratação é outro ponto fundamental. Uma vida saudável exige também a preocupação com a ingestão de água durante o dia.

Abandonar o elevador e optar pelas escadas, trocar o carro por bicicleta, caminhar pelo escritório a cada meia hora são dicas simples que podemos incorporar no nosso dia-a-dia para manter uma rotina mais saudável.

Gostou dessas dicas? Assine a newsletter para ficar por dentro das novidades do blog.

Posts relacionados