Qualidade de vida

Como ter alta performance na atividade física sem prejudicar a pele?

single image

Disposição, vida saudável, controle do peso, menor risco de doenças, manter ossos e articulações saudáveis… A lista de benefícios de fazer atividade física regularmente é extensa e se estende por diversos benefícios, tanto para o corpo, quanto para a mente. Mas, o que pouco se diz é sobre os riscos que o excesso da prática pode trazer à saúde, principalmente para o envelhecimento da pele.

De acordo com Igor Rehbein, treinador e sócio fundador da Act On, durante a utilização de oxigênio, nosso corpo gera radicais livres que podem proporcionar o envelhecimento da pele. Mas, isso só acontece, caso não seja feito nada para evitar, como passar protetor solar, ir a um nutricionista e ter uma dieta rica em antioxidantes. “Provavelmente a pele de uma pessoa que tem maiores cuidados, não somente com a alimentação, mas com uso de medidas protetivas contra o sol, será mais vistosa por maior tempo, em contrapartida, alguém que tem menores cuidados, apresentará sinais precoces.”, diz o treinador que reforça também o poder que está nas mãos de cada indivíduo sobre escolher o que mais lhe agrada: praticar exercícios e ter cuidados com a pele, ou evitar fazê-los para ter uma pele mais vistosa.

Além disso, outros pontos também podem prejudicar a qualidade e boa aparência da pele, como algumas atividades que proporcionam um ambiente mais desfavorável. Um exemplo disso é a realização de atividades ao ar livre em horários que o sol está no seu ápice, atividades de contato, que podem gerar hematomas e práticas aquáticas com muita exposição ao cloro.

Quanto menos excesso, mais sucesso

Exigir do seu organismo mais do que ele consegue oferecer é um erro muito comum dos atletas que buscam alta performance. Por isso, é preciso relembrar que exercício, para fazer bem de verdade ao corpo, deve ser feito com moderação, de forma responsável e à luz dos cuidados de profissionais. O motivo dessa cautela é porque a atividade física funciona como um tipo de estresse para o corpo, que pode resultar na queda do sistema imunológico.

Outra alteração que pode ser percebida, caso haja exageros, é o estiramento da pele e, consequentemente, a perda acelerada das fibras de colágeno. Esse fator também pode ser observado quando há emagrecimento do rosto, onde o atleta perde a gordura de sustentação da face e, portanto, fica com aparência mais velha.

Quando se fala em “exercícios em excesso” logo vem a dúvida sobre o que isso, na prática, realmente quer dizer. Afinal, como saber a hora certa de parar ou de incentivar o corpo a ir um pouco mais além? Sobre o tema, o treinador explica que a falta de limites está diretamente ligada ao overtraining, isso é, quando o atleta amador ou profissional começa a apresentar alguns sinais como desmotivação, cansaço em excesso ou lesões recorrentes.

Quanto aos impactos na pele, Igor alerta que não há exercícios perigosos e, sim, falta de cuidado por parte de quem pratica, ou seja, desconsiderar a periodização e se exercitar além do limite e com poucos intervalos de descanso. “Cada modalidade segue um planejamento, alguns treinos precisam de mais descanso entre eles, como os treinos intervalados da corrida e outros menos, como uma rodagem no pedal”, afirma o profissional que defende o diálogo constante com o treinador caso o atleta apresente algumas características como falta de motivação, cansaço frequente e fadiga.

Outro ponto que também serve de atenção na hora de amenizar os impactos negativos é seguir o planejamento feito pelo educador físico e demais áreas correspondentes, como uma dieta balanceada de um nutricionista que poderá prescrever alguns alimentos com antioxidantes. “Além disso, a hidratação é fundamental, assim como ir a um médico dermatologista para avaliar algumas manchas e sinais em nossa pele e, a partir daí, receber algumas recomendações para usar protetores solares adequados para nossa pele, óculos de sol e viseiras.”, explica. 

O melhor movimento é o equilíbrio

Defensor ferrenho do movimento constante na rotina, Igor deixa uma dica de ouro para as pessoas que estão querendo se exercitar, seja na corrida ou em qualquer outra atividade, mas estão com medo das consequências negativas tanto na pele, quanto nas articulações ou outros órgãos: o equilíbrio.

Buscar a harmonia nos treinos, com periodização correta, descanso no tempo certo e seguir as recomendações dos profissionais da saúde, como nutricionista e dermatologista, são essenciais. Para o treinador, o principal ponto aqui é pensar o que realmente você quer. “Você prefere viver a experiência de correr uma ultramaratona e ter uma história para contar para seus netos e como consequência ter alguns pés de galinha ou chegar aos 80 anos sem marcas de expressão e escutar as histórias dos seus colegas?”, finaliza.

Sobre o Treinador

treinador IgorIgor Rehbein é treinador, bacharel em educação física e graduando em Nutrição pela Universidade Positivo. Sócio fundador da Act On, Igor busca incentivar cada vez mais atletas a terem um estilo de vida esportivo e saudável, sempre em movimento.

Siga Igor Rehbein nas Redes Sociais

Instagram Pessoal

Instagram Profissional

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados