Qualidade de vida

Como conciliar atividade física e gestação?

single image

Prezar por uma vida ativa é a recomendação certeira para praticamente todas as pessoas. Mas mesmo com os inúmeros benefícios já popularmente conhecidos, a escolha do esporte ou atividade para movimentar o corpo deve ser feita à luz de alguns cuidados, prezando a individualidade de cada atleta. Um desses exemplos é a atividade física na gravidez, que apesar de altamente indicada também precisa de atenção!

De acordo com a profissional de educação física e ex-atleta de atletismo, Taiana Lohmann, quando o assunto é a saúde humana, não se pode generalizar, já que todo ser tem sua peculiaridade, assim como a mulher na gestação. “É importante a gente entender que a gravidez é composta de 3 fases, 3 trimestres ou 40 semanas, e cada trimestre tem uma característica diferente que também pode ser associada ao tipo de atividade física que a gestante vai realizar.”, explica. 

Para cada fase, um exercício

Os treinos são indicados em todas as fases da gestação, mas com algumas especificidades em cada uma delas e sempre com a liberação de um médico. O ideal é procurar sempre exercícios de baixo impacto que trabalham respiração e alongamento, como natação, pilates, yoga e caminhada. Já atividades que comprimem o abdômen ou que façam movimentos que impeçam a barriga de crescer, não são recomendadas. “Na gravidez não é o momento de descobrir esportes que nunca fez e fazer coisas radicais, mas sim manter o corpo em movimento visando a qualidade de vida e preparando o corpo para o parto” , alerta Taiana.

Primeiro Trimestre: da 1° a 10° semana

No início da gestação é quando o embrião está se fixando no corpo, então toda atividade física nessa fase precisa respeitar esse processo de fixação. Atividades de alto impacto que vão gerar desidratação e cansaço extremo são práticas que elevam o risco durante a gravidez.  É comum que nesse período a mulher sinta muito sono, proveniente das reações do corpo que reforçam a necessidade de descansar e proteger o embrião.

Segundo Trimestre: da 11° a 25° semana

Esse é o momento em que a mulher está mais livre para praticar atividades físicas, pois o bebê já terminou sua formação e está semelhante a um recém-nascido. Mesmo assim, é importante analisar alguns detalhes, já que, apesar da maior liberdade para os treinos, aqueles que visam alto impacto e alta performance não devem estar na rotina. O ideal é continuar as atividades anteriores, mas respeitando seus limites.

Terceiro Trimestre: da 26° a 40° semana

É a fase em que o bebê ganha peso e altura enquanto o corpo da mulher se prepara para o parto. Assim, a barriga costuma crescer muito, limitando os movimentos. Além disso, há também uma alteração no centro de gravidade, menor equilíbrio, mudanças no sistema circulatório e maior inchaço. Por isso, as atividades mais recomendadas são aquelas que visam a melhora da capacidade respiratória, sustentação da coluna e fortalecimento da lombar.

Atividade física e gestação

Manutenção do peso, menor chance de diabetes, pré-eclâmpsia, pressão alta, influência direta na autoestima… Essas são só algumas das vantagens de se movimentar durante a gestão. Não à toa, quando questionada sobre a forma correta de conciliar atividade física nesse período, Taiana é taxativa: “A pergunta é: como não conciliar? Ela é essencial.”

Portanto, todo um auxílio é necessário para potencializar esses benefícios, como acompanhamento médico, do educador físico e de uma nutricionista para entender quais nutrientes e rotinas de exercício o corpo precisa para gerar outra vida com muita saúde.  “Existe todo um planejamento necessário, que deve ser feito com muito carinho já que há outra vida gerada, como cuidados com a pele, alimentação, tempo de exposição ao sol, temperatura do corpo durante atividade física…”, conta a ex-atleta.

Após as análises dessas variáveis, é possível criar um plano de treinos e alimentação adequados às necessidades individuais de cada mulher, mas uma dica vale para todas: procure atividades para o bem-estar e não aquelas que sejam extenuantes e de alta intensidade.  “A atividade física não é uma receita de bolo e precisa ser monitorada pelo profissional de educação física que esteja acompanhando a gestante e conheça a realidade dela, bem como os outros fatores que podem interferir, como sono, índice glicêmico, hidratação, tônus muscular, como o peso está respondendo e demais indicadores que devem ser mensurados”, explica. 

Gravidez anda lado a lado com uma rotina ativa

Quando o assunto é como conciliar a rotina ativa com a gravidez, Taiana tem a dica: planejamento. Para ela, o ideal é se programar para fazer as atividades levando em conta a alimentação, hidratação, intensidade, descanso, sempre buscando a segurança da mãe e do bebê, bem como a qualidade de vida dos dois. “A atividade física na gravidez precisa gerar prazer, ser agradável. Nessa fase o corpo da mulher responde muito bem a muitas atividades e toda essa sensação de bem-estar também é refletida para o bebê, mas essa rotina ativa precisa ser programada e planejada.”, informa a profissional.

Todas essas indicações vêm de muito estudo, da experiência profissional e também pessoal. Taiana conta que viveu todos esses questionamentos e adaptações em sua gravidez, que aconteceu de forma inesperada em um momento muito ativo da sua vida como atleta. “Estava treinando normalmente, até que fui acompanhar uma amiga no ginecologista e aproveitei para fazer meus exames, sem querer, descobri que estava grávida”, conta a atleta que optou por manter a atividade física durante a gestação por um tempo, mas em uma realidade bem diferente do que vivia como atleta. Além disso, pôde aproveitar os diversos benefícios herdados da carreira atlética e do bom metabolismo, como uma gravidez saudável e um retorno bem tranquilo, com uma boa resposta do corpo em sua recuperação.

O fato de ter engravidado também deu à profissional o know-how para acompanhar outras mulheres em seus treinamentos, por meio de sua assessoria esportiva “O grande segredo do exercício físico durante a gravidez é conhecer a mãe, saber o que ela fazia antes, entender como o corpo dela está respondendo em cada fase e monitorar constantemente, colocando os exercícios certos para que ela tenha uma resposta ideal”, finaliza Taiana. 

Sobre a profissional

Treinadora Taiana LohmannTaiana Lohmann é sócio-proprietária da For Time, ex-atleta de atletismo (heptatlo) e mãe da Sophie de 8 anos. Trabalha com educação física há mais de duas décadas e aprendeu, na prática, como conciliar atividade física e gestação. Hoje, usa sua experiência para treinar outras mulheres nessa e em diversas outras fases da vida.

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados