Práticas esportivas

Tudo que você precisa saber para adaptar seus treinos dentro e fora de casa

single image

Já se passaram mais de 90 dias de isolamento social. Nesses 3 meses muitas adaptações se fizeram necessárias para passar pelo período de pandemia com saúde física e também mental. Nesse cenário, se exercitar se transformou no maior triunfo para quem quer alcançar tal equilíbrio. Mas em época de afrouxamento das regras de isolamento, onde a atividade física e o COVID-19 estão em pauta, como fazer para manter a prática sem se expor ao vírus?

Em algumas cidades em que a fase de maior restrição social já passou, é possível para os atletas voltarem, aos poucos, à rotina de treinos outdoor. Juntamente com essa retomada e algumas recomendações estritas do uso de máscara, vem também o questionamento sobre os benefícios e possíveis problemas que o acessório de proteção pode causar. A respeito disso, a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), prega que o uso da máscara deve respeitar as determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS), principalmente em locais onde sua obrigatoriedade for decretada. E, caso a prática de exercícios seja liberada fora do isolamento, a recomendação deve ser seguida tanto em locais abertos quanto em academias.

Atividade física e COVID-19: como adaptar os treinos na pandemia?

treinador JúlioDe acordo com Júlio Cezar Machado, mestre em Ciências da Saúde, treinador de atletas e especialista em exames laboratoriais, a SBMEE se mantém de acordo com as diretrizes da OMS quanto ao uso da máscara, mas, para ele, o assunto deve ser abordado ainda mais a fundo. Na sua visão, devemos pensar em formas de orientar as pessoas a se exercitarem, sem descumprir as leis. “A minha orientação aos meus atletas de ciclismo, Mountain Bike e corrida é que, nas cidades onde haja restrição à prática outdoor, se pedale no Rolo de Treinamento, Bike de Spinning ou Esteira”, aconselha.

Além disso, é preciso estar atento ao volume e intensidade das atividades para não sobrecarregar o sistema imunológico e, é claro, estar atento à alimentação adequada e uma rotina equilibrada.

A ideia do treinador para se movimentar com segurança é usar a criatividade e encontrar novas formas de voltar à rotina, incluindo o treinamento esportivo e outras maneiras de praticá-lo. Como a principal forma de transmissão do vírus é pelo contato direto e aglomerações em ambientes fechados, o ideal é optar por locais mais desertos, onde não haja o contato com pessoas. Um exemplo disso é pedalar em ruas tranquilas, ir andando até uma padaria mais longe e evitar horários de pico.

É possível praticar o treino ao ar livre com segurança?

Para Júlio, a prática ao ar livre deve ser feita apenas se não houver pessoas próximas, como correr e pedalar sozinho. “Pedalar é mais seguro não tendo outro ciclista a nossa frente, pois as gotículas de suor que transportam o vírus podem voar do atleta da frente para o de trás.”, alerta o treinador.

Dessa forma, para praticar atividade física em tempos de COVID-19, o ideal é que haja pelo menos 20 metros de distância em baixa velocidade ou até 50 metros em caso de bicicletas de estrada (Speed). A máscara também pode ser uma boa opção para os momentos inesperados de encontro com outras pessoas durante o exercício, mas também deve ser usada com muitos cuidados. Júlio ainda reforça que, independente da forma de proteção, o atleta precisa estar atento ao cuidado com a saúde como um todo.

A máscara pode prejudicar a performance na prática de exercícios?

De acordo com SBMEE, com a máscara a nossa respiração tem uma barreira física entre a via respiratória e o ar ambiente, o que resulta em uma maior dificuldade para a mobilização desse ar, tanto na inspiração, quanto na expiração. Essa barreira pode ser diminuída com máscaras de tecidos mais leves, já que aquelas mais espessas podem provocar maior desconforto e, em consequência, a queda de rendimento.

Outro cuidado a ser observado é que durante a atividade há mais chances da máscara ficar úmida e sair do lugar, deixando nariz e bocas expostos. Por isso, é recomendado levar acessórios adicionais para serem trocados caso ocorra alguma das situações acima e optar por máscaras descartáveis, já que as reutilizáveis podem trazer risco de infecção de pele se não forem higienizadas corretamente. É comum também o aumento de secreções nasais graças à temperatura quente e úmida provocada pela máscara ao redor do seu rosto.

Fique atento aos sinais do seu corpo

Durante os exercícios é preciso estar atento ao que o seu corpo está te dizendo. Como já mencionamos, o uso de máscaras pode dificultar a respiração, dependendo do material que for feita. Então, atente-se se o treino parecer mais difícil que o normal. Caso isso aconteça, diminua a intensidade para que a ventilação esteja de acordo com suas necessidades. Em situações de esforço intenso como corridas, essa limitação de acesso ao ar pode aumentar o desconforto e diminuir o desempenho.

A atividade física ainda é uma aliada para sua saúde

Mesmo que a forma de praticar atividades físicas seja diferente da que você está acostumado devido a COVID-19 ou que os cuidados provoquem uma leve queda no rendimento, a melhor maneira de estar saudável é o movimento. Use a imaginação para encontrar atividades que te mantenham ativo, sejam elas indoor ou outdoor. E, agora que você já sabe todos os cuidados para serem tomados caso opte pelos exercícios ao ar livre, é só colocá-los em prática. 

Vamos todos juntos apostar nessa nova rotina de treinos. Só não se esqueça da distância mínima recomendada, hein?

Deixar um comentário

Fique tranquilo que não publicamos o seu endereço de email.

Posts relacionados