Alimentação

Álcool e esporte, combinam?

single image

Você certamente já viu algum amigo corredor dizer que nada é melhor que uma cerveja bem gelada pós-treino ou pós-prova. Então o que você pensa? Álcool e esporte, combinam?

É bom não dar ouvidos a tudo o que escuta por aí. Fabrício Braga, cardiologista da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, explica que o álcool, mesmo em baixas quantidades, reduz a capacidade aeróbica por atuação muscular, cardiovascular e neurológica.

“Os músculos são afetados pela redução da liberação de glicose pelo fígado, combustível muscular principal em corridas maiores que 3K. Com isso, há um risco maior de hipoglicemia durante o esforço físico. No sistema cardiovascular há uma elevação da frequência cardíaca basal, reduzindo a tolerância ao esforço. E no sistema nervoso central o álcool pode promover alterações de equilíbrio, aumentando o risco de lesões ortopédicas”, explica Fabrício que pratica triathlon.

Mas e aquela história de que apenas uma dose por dia pode trazer alguns benefícios? O atleta pode confiar nela? O médico explica que o tema é polêmico, cujos estudos ainda não são conclusivos.

“A ingestão moderada de até 150ml de vinho ou 300ml de cerveja pode ter um beneficio cardiovascular. Todavia, os resultados dos estudos clínicos que testaram essa hipótese são conflitantes, sendo esse um hábito que não deve ser estimulado”, explica o médico.

Segundo Fabrício, estudos do Colégio Americano de Medicina do Esporte mostram, desde 1982, que a ingestão de bebida alcoólica deve ser no máximo até 48h antes da prova ou do treino.

Álcool e esporte: essa não é uma boa combinação!
Álcool e esporte: essa não é uma boa combinação!

Depois do exercício

No pós prova deve-se primeiro, hidratar-se e alimentar-se e depois ingerir qualquer forma de bebida alcoólica, pois a velocidade de absorção do álcool após exercício aumenta muito.

Existem alguns estudos com o LAB (Low Alchool Beverage) para hidratação pós-prova. Mas os resultados ainda não permitem a indicação.

“Há um grande perigo em se consumir bebida alcoólica após treinos e provas, com o corpo cansado ou debilitado. O corpo sofre todos os efeitos já conhecidos, mas aumentados. Em casos assim a velocidade de absorção intestinal do álcool pode ser até dez vezes maior”.

O tema é realmente polêmico e cada atleta deve se orientar e buscar informações com seus treinadores e médicos.

Mas e o calor?

Claro que – em épocas de calor escaldante – não é preciso cortar de vez a cerveja. Mas é bom beber com moderação, e esqueça aquela dica de alguns amigos de que um bom treino cura qualquer ressaca.

E antes do treino? Posso perder rendimento?

De que o treino faz você colocar o álcool para fora do organismo. Não há nada na literatura médica que confirme isso.

“Isso é um completo absurdo. Nem o álcool, embora ele seja um carboidrato, nem seus metabólitos são consumidos pelos músculos durante a atividade física. Não há qualquer ação da corrida sobre os efeitos do álcool no organismo!”, explica Fabrício.

Então se você é daqueles que busca melhorar seu tempo em cada prova, se superar em cada treino, pense bem antes de tomar aquela cervejinha gelada ou uma taça de vinho.

O álcool funciona como um relaxante muscular de ação central, podendo provocar perda de força durante alguns dias. Sua absorção também produz aldeído, substância tóxica para o tecido neurológico que diminui o limiar de esforço.

Esses pequenos detalhes podem significar aqueles minutos ou segundos a menos na busca do seu objetivo.

E não se pode esquecer também que bebidas alcoólicas fazem crescer o nível de insulina no sangue, ocasionando ganho de peso e ansiedade.

O importante é manter o foco e o equilíbrio.

Converse com seu treinador e com seu médico e veja com eles quando pode relaxar um pouco nos treinos e degustar um bom vinho ou uma cerveja gelada – já que o calor está de matar – com seus amigos, sejam eles de corrida ou não.

Posts relacionados