Práticas esportivas

A importância da preservação do sistema musculoesquelético

single image

O sistema musculoesquelético é muito mais do que uma estrutura de contenção e de sustentação. É o principal componente dinâmico do nosso corpo e possibilita a realização de todos os gestos desde um simples aceno de mão até a prática de corridas de forma harmônica por meio de um intricado sistema articular e de funções musculares distintas, controlado por uma rede nervosa.

Ao realizar um movimento, é solicitado o funcionamento de todo ou quase todo esse sistema e nunca apenas uma única articulação. Por essa razão, para fazer qualquer movimento de forma normal e sem gerar sobrecargas é importante que cada músculo e articulação funcionem perfeitamente. É fundamental ter consciência dessa necessidade, pois o sistema possui uma capacidade muito grande de se adaptar a eventuais adversidades para continuar cumprindo suas funções e permitir o movimento solicitado. Essa adequação aparentemente positiva pode gerar, no futuro, danos ainda maiores e mais difíceis de tratar. E por ser um sistema interligado, qualquer alteração ou trauma em um músculo ou uma articulação pode prejudicar, direta ou indiretamente, os demais componentes, mesmos os mais distantes e que, aparentemente, não tem qualquer conexão.

Os cuidados com esse importante e complexo sistema devem ser permanentes e não podem se limitar aos movimentos que antecedem ou encerram os exercícios físicos. Situações como postura inadequada, sedentarismo e traumatismos podem prejudicar esse sistema, levando à perda de mobilidade e comprometendo o movimento articular. É importante, portanto, incluir na sua rotina as precauções com a preservação do sistema musculoesquelético, o que trará benefícios tanto para a vida cotidiana quanto para a prática de atividade física como caminhadas e corridas.

Qualquer movimento que estimule o sistema musculoesquelético e force a pessoa a sair da inércia e do sedentarismo já é uma atividade preventiva. Também é importante procurar orientação especializada não apenas quando sentir alguma dor ou incomodo para que seja feita uma avaliação individual e, a partir do que for observado, definir quais são os exercícios mais indicados para estimular o movimento nas partes do corpo que não tem mobilidade.

Henrique Souza
Treinus

Posts relacionados